segunda-feira, 26 de março de 2012

Folhas crocantes

Ingredientes:
2 chávenas de polpa vegan (aipo, cenoura, couve, espinafre, limão, maçã, pepino, rabanete, salsa...ou use o bagaço dos sumos verde),
1 courguete,
2 tomates,
1/2 colher de chá de cominho,
1/4 colher de chá de paprica,
3 colheres de sopa de semente de linhaça germinada,
3 colheres de sopa quinoa germinada,
 2 colheres de sopa de sesamo,
1 colher de sopa de sementes de cânhamo,
 1/2 colheres de sopa de azeite extra virgem,
 1/2 colher de flor de sal,
 pimenta caiena q.b.,
 água filtrada q.b.,

 Modo de fazer:
Misture todos os ingredientes até ficar homogéneo mas não muito grosso. Reserve umas sementes de sesamo e de cânhamo para decorar. Se for fazer biscoitos, deixe um pouco mais grossos. Leve ao forno aquecido a 40º/45º graus por 2 horas ou ao desidratador solar até estar seco.





Quase um sorvete de manjericão

Ingredientes:
1/2 chávenas de folhas de manjericão
1 chávena de castanhas do para germinada
1/2 chávena de água fria
1 chávena de tâmaras germinadas
2 banana madura cortada as rodelas e CONGELADA


Bata no processador o manjericão com a castanha do para, as tâmaras e a água, até ficar homogéneo, passe pela panela furada e reserve a polpa para usar posteriormente.
Verta o sumo no processador e bata com a banana congelada até obter uma massa tipo gelado. Sirva imediatamente, pois derrete rapidamente.

Dicas:
Na altura do milho verde, substituir a água fria por leite de milho verde
Fotografia retirada da internet.
:)  :)

Mudança para horário de verão!!!!

Este fim de semana mudou a hora em comemoração a quase chegada do Verão....
Um sumo fresco e revigorante :-)

Ingredientes:
4 maças,
3 cm de gengibre,
1 colher de sopa sesamo germinado,

Modo de fazer :
Misture tudo com um processador até obter um liquido homogéneo. Serve 1 copo.

domingo, 25 de março de 2012

Bem cedo começa o dia!!!!

Ingredientes:
1 banana madura,
4 morangos maduros,
1 colher de sopa de linhaça germinada e moída,
4 castanhas do para, germinadas,
2 copos de água.





Modo de fazer :
Misture tudo com um processador até obter um liquido homogéneo. Serve 2 copos.



sábado, 24 de março de 2012

Para sobremesa uma torta crua


Massa
20 g de castanhas cruas e germinadas,
20 g de amendoim crus e germinado,
15 g de tâmaras demolhadas,
1 col. (sopa) de agave,

Recheio
1 manga,
1 rodela de abacaxi (ananás),
folhas de erva príncipe,
Carambola,
Kiwi ,

Modo de fazer:
Triture os dois primeiros ingredientes da massa. Depois, misture com o agave. Forre uma anel com aro de 6 a 8 cm de diâmetro. Reserve. Para o recheio, bata no processador 1 manga com folhas de erva-principe até virar um creme. Recheie a massa, desenforme e decore com frutas fatias de carambola, ananás e kiwi.

Lasanha para o almoço!!!!

Ingredientes
200 g de courguette laminada,
1 cháv. (chá) de shiitake picado,
1 cháv. (chá) de tomate cereja,
2 tomate picado sem pele e sementes,
½ cháv. (chá) de queijo de castanha,
(bater a castanha no processador com ervas, sal e água até obter uma pasta homogenia e deixar fermentando por, pelo menos 12 horas).
½ cháv. (chá) de pesto de manjericão,
(bater o manjericão com sal e azeite extra-virgem).
 

Modo de fazer
Monte a lasanha em um vazador alternando camadas de courguete, shiitake, tomate, queijo de castanha e pesto de manjericão. Finalize com lâminas courguete e folhas verdes e tomates cereja.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Smoothie para o lanche da tarde...

1 banana madura
1/2 abacate maduro
1 colher de sesamo
1/2 copo de aveia germinada
2 copo de água

1 colher de chá de alfarroba (opcional)

INSTRUÇÕES

Misture tudo até obter um liquido grosso e liso. Beba imediatamente. Serve 3 copo..

 

Molho de tomate cru!!!


Você pode usar este molho em TUDO!
 
3 tomates grandes  e maduros
1/2 xícara tomates secos, demolha por dos 2 horas
3 colheres de sopa de azeite extra virgem
1/4 chávenas de manjericão fresco
1 colher de sopa de coentro fresco
1 colher de sopa de salsa fresca
1 colher de chá de erva-doce 
1 colher de sopa de agave
1 colher de chá de flor de sal

 
Misture todos os ingredientes em um processador de alimentos e turbine bem até estar homogéneo. Rende aproximadamente 3 chávenas.

Os tomates são rico em licopeno (média de 3,31 miligramas em cem gramas), vitaminas do complexo A e complexo B e minerais importantes, como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose. Quanto mais maduro, maior a concentração desses nutrientes. O tomate é composto principalmente de água, possuindo, aproximadamente, catorze calorias em cem gramas.  
 
O licopeno é um potente antioxidante e está sendo pesquisado como agente preventivo para o cancro dos pulmões, próstata, pâncreas, estômago e colo uterino.
Também protege contra derrame, doenças cardíacas e catarata. A transformação dos tomates com um pouco de óleo aumenta a absorção de licopeno, que é solúvel em gordura.
 
Evite tomates que estão tocados ou batidos. Tomates maduros deve ter uma pele lisa, firme, mas produzir ligeiramente para a pressão de um dedo. Tomates em cachos são os melhores, às vezes os tomates  não-orgânicos vendidos em grandes superfícies comerciais são colhidas verdes e amadurecidos com gás etileno. É lógico que ninguém anuncia isso.
Sirva os tomates em fatias à temperatura ambiente, ou adicionar a saladas, sopas, molhos, ou sumos de vegetais.
 
Sabia que as versões nativas dos pequenos tomates cerejas, são amarelas e não vermelhas.
Ervas que complementam o sabor do tomate incluem alecrim, manjericão, manjerona, orégão, coentro, salsa, cebolinho, e pimenta do reino...


 Porque as contra indicações?
Os tomates também contem o  solanina  que é um glicoalcalcalóide, tóxico, A intoxicação por solanina se caracteriza por alterações gastrointestinais (diarréia, vômito e dor abdominal) e neurológicas (alucinações, dor de cabeça, etc.). A dose tóxica é de 2-5 mg por quilograma de peso corporal. Os síntomas se manifestam de 8 a 12 horas após a ingestão.


Alem disso o tomate contem  ácido oxálico responsável pela indicação de moderação no consumo de tomate por pessoas com cálculos renais e ou artrites. O ácido oxálico, juntamente com o cálcio, forma sais insolúveis (oxalato cálcio), que precipitam em forma de cálculos ou pedras.

Mas o ácido oxálico no tomate é baixo (5,3mg/ 100g), semelhante ao de muitos outros alimentos e inferior ao da alface (17mg/ 100g) ou do espinafre (779mg / 100g).



Dicas.

Cru: é a forma mais saudável de consumir o tomate. 
Suco e molho de tomate industrializados: contêm muito sal e aditivos desnecessários.
O tomate é  diurético e depurativo que facilita a função renal.



13 Foods That Fight Allergies

There are many naturally-occurring plant compounds called phytonutrients that assist with allergies. The main ones include: anthocyanin, curcumin, hesperetin, and quercetin in your diet. Don’t worry about remembering their names. I’ve listed the food sources of each below. Of course, if you have a food allergy or sensitivity to one of the sources indicated, avoid that food.

13 Foods That Fight Allergies
Eat Foods Rich in Anthocyanins
The phytonutrient group known as anthocyanins give foods their purplish-red color. They have natural anti-inflammatory properties. Anthocyanins are found in most dark red and purple-colored foods. Some food sources include:  beets, berries, cherries, and dark purple and red grapes.

Eat Curries to Benefit from Anti-Inflammatory Curcumin
 Turmeric (Curcuma longa) is a yellow-colored spice commonly found in Indian curries. It contains the active ingredient curcumin, which is a powerful antioxidant and anti-inflammatory substance. Research has shown that ingesting 1200 mg of curcumin daily can have the same effect as anti-inflammatory drugs. You’d need to supplement to obtain that dose; however, you can also add fresh or dried turmeric to many foods: soups, curries, stews, salad dressings, etc. Be sure to avoid dairy-based curries or you’ll be undermining many of the anti-inflammatory benefits of turmeric since dairy products are mucous-forming.


Hesperetin/Hesperidin for Hay Fever
Hesperetin and hesperidin are almost identical except that the latter is bound to a sugar molecule. Research shows that these potent phytonutrients have antioxidant, anti-inflammatory, anticarcinogenic, and cholesterol-lowering actions, and also protect blood vessels against damage. These are just some of the therapeutic side-effects of hesperidin. Hesperidin is also beneficial for allergies and hay fever because of its antihistamine properties. Green vegetables are a source of hesperidin / hesperetin.  You can also find them in their highest concentration in citrus fruits like lemons and oranges, especially the white part, or pith. Of course, avoid citrus fruits if you suspect that you are sensitive to them.

Take Quercetin to Quell Allergy Symptoms
Quercetin is an antioxidant, anti-inflammatory, and anti-histamine phytonutrient. Research shows that eating a quercetin-rich diet lowers LDL (harmful) cholesterol, blood pressure, and risk of heart disease, as well as the risk of prostate, colon, ovarian, breast, gastric, prostate, and cervical cancers. These are great beneficial side-effects but we’re interested in its ability to help allergy symptoms and to improve lung function. Apples and onions are excellent sources of quercetin.  Some studies show that people who eat a lot of apples have improved lung function and reduced risk of lung conditions. Other good sources include: berries, cabbage, cauliflower, nuts (not peanuts), and black, green, or white tea.

It is frequently beneficial to take quercetin in a supplement form to assist with the histamine-induced sinus congestion, runny eyes or nose, or other allergy symptoms. The food sources of this nutrient are helpful but when you’re experiencing full-blown allergies, you may need higher doses of this anti-histamine-type nutrient to combat uncomfortable symptoms. Most quercetin supplements also contain the enzyme bromelain, which is an excellent anti-allergy combination. Most people find relief from taking 400 milligrams of quercetin twice daily.

Adapted with permission from Allergy-Proof by Michelle Schoffro Cook, PhD.  Copyright Michelle Schoffro Cook.



quarta-feira, 21 de março de 2012

Ração Humana!!!!

Chegou a Primavera !!!

Equinócio vem do latim, e significa “ noites iguais “, aequus (igual) e nox (noite), ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo.

Corresponde também à entrada da primavera no hemisfério norte.
Não é de hoje que o Oriente dá grande importância à chegada da primavera. É o tempo de plantar novas sementes, celebrar com rituais o crescimento e prosperidade.
Pensar e chegar ao equilíbrio interno e também no externo pois até o dia e a noite tem o mesmo tempo de duração, a energia solar e a energia lunar estão equilibradas.

Não estará na altura de reequilibrar o seu organismo?
Uma boa dieta Detox ajudará seu corpo a eliminar as toxinas nocivas que obstruem seu trato gastrointestinal e pode benefíciar substanciais a sua saúde e bem-estar.
Você sentirá melhoras na sua energia vital, deixará a sua pele mais clara, ficará menos inchada, terá menos enxaquecas e, é claro notará uma perda significativa no seu peso.

Todos nós temos épocas de excessos e de disparates gastronómicos. Todas nós sabemos disso, e várias vezes por ano precisamos equilibrar a saúde e de desintoxicar. Uma boa dica é a ração humana, um composto à base de cereais integrais energéticos com a função de desintoxicar, equilibrar o corpo e, até mesmo, emagrecer.

Não resta nenhuma dúvida que a ração tem qualidade inquestionáveis e vai ser um grande aliado nas dietas de emagrecimento. Encontramos na ração humana grandes quantidades de fibras solúveis, o que provoca uma sensação de saciedade, ajuda o intestino a trabalhar melhor, baixa o colesterol, fortalece o sistema imunitário, ajuda nas convalescenças e, ainda, diminui os efeitos colaterais da quimioterapia. Enfim, equilibra o organismo.

Os integrais têm a grande vantagem de manter íntegras as suas vitaminas e os seus minerais, além de ser rico em fibras. Entretanto, desiludam-se pois não há uma ração milagrosa para perder peso. O único caminho a seguir é a reeducação alimentar.

Cada colher de sopa da ração humana contém 40 quilocalorias. O recomendado são duas colheres de sopa de ração humana, por dia, o equivalente a 80 Kcal.

Podemos consumir a ração humana com o sumo da Luz do sol (ver receitas no blog do Leite da Terra), com batidos de fruta, com leite vegetal (soja, amêndoa, arroz, etc). Atenção a quem sofre de diabétes: devem retirar o açúcar mascavado, assim como quem tem problemas de hipertensão deve retirar,também, o guaraná em pó.

O consumo de ração humana vai fazer, em primeira instância, com que uma pessoa perca bastante peso em duas dezenas de dias, mas, apenas o exercício físico e a reeducação alimentar irão, realmente, transformar alguém "gordinho" em elegante.

Vejamos: se a ração humana for ingerida com alimentos ricos em vitamina C, como o kiwi, a laranja, o limão, o sumo de clorofila ou as bagas de goji, os efeitos da linhaça e do colagénio serão potencializados, além de saciar e energizar.

No meu ponto de vista, o ideal é consumir a ração humana pela manhã ao pequeno almoço com um copo de sumo da luz do sol e um prato com banana amassada com duas colheres de ração. Se for acompanhada, por exemplo, com uma deslocação a pé para o trabalho, ou, simplesmente, fazer uma boa caminhada será ideal.

Você pode fazer a sua ração humana ou então encomendar-nos
Ração Humana nós só usamos produtos de boa qualidade, biológicos e novos.
Pense você está investindo na sua saúde.
Cada dose custa aproximadamente 0,6€.

Encomendas para Portugal - Ilhas e Continente e alguns países da Europa:
(Leitedaterra@gmail.com)
Necessitamos: Contacto, Nome e Morada completos

Preços:
1 Kilo = 28 euros + despesas de envio.
1/2 Kilo = 15 euros + despesas de envio.
1/4 Kilo = 8 euros + despesas de envio .

Preparamos receitas personalizadas, para diabéticos, celíacos!!!
Se desejar a ração humana será entregue com os ingredientes embalados individualmente ou inteiros, fale connosco.
Veja aqui as nossas receitas .


Cumprimentos

-.-.-


email: leitedaterra@gmail.com
Contacto: +35 1 965 493 081 -  248311

sexta-feira, 16 de março de 2012

Os 10 mais em Calcio!

A RDA (dose diária recomendada) de cálcio é de 1000mg, a seguir é uma lista de vegetais ricos em cálcio.


# 1: couve (cozidos)
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 xícara de
210mg 357mg
RDA 21% RDA 36%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Collard Greens
# 2: Kale (Raw)
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 copo
205mg 137mg
RDA 21% RDA 14%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Kale
# 3: nabiças
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 xícara de
190 mg 105 mg
RDA 19% RDA 10%
Clique para ver informações nutricionais completas
# 4: Alho
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 copo Cálcio em 1 Clove
181mg 246mg 5mg
RDA 18% RDA 25% RDA 1%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Alho
# 5: rúcula (Rocket)
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 copo
160mg 32 mg
RDA 16% RDA 4%
Clique para ver informações nutricionais completas
# 6: Broccoli Rabe (Rapini)
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 Bunch cozido (437 gramas)
118mg 516mg
RDA 12% RDA 52%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Broccoli Rabe (Rapini)
# 7: Verdes Mostarda
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 xícara de
101 mg 152mg
RDA 10% RDA 15%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Verdes Mais sobre Mostarda
# 8: Sun Tomates Secos
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 copo
110mg 59mg
RDA 11% RDA 6%
Clique para ver informações nutricionais completas
# 9: Espinafre (Raw)
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 copo
99mg 30mg
RDA 10% RDA 3%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Espinafre
# 10: Quiabo
O cálcio por porção 100g Cálcio em 1 xícara fatiada
96 mg 177mg
RDA 10% RDA 18%
Clique para ver informações nutricionais completos | | Mais sobre Quiabo

Fonte: healthaliciousness

quinta-feira, 15 de março de 2012

Dra. Kirstine Nolfi - Tratamento com alimentos crus

Tratamento com alimentos crus

Dra. Kirstine Nolfi

Antes que me desse conta da importância dos alimentos crus, minha atitude era exactamente a mesma de outros médicos — tratava dos sintomas da doença, sem pensar na prevenção. No futuro, encontrar meios de prevenção, muito mais do que fazemos hoje, deveria ser dever da profissão médica ao invés de tentar curar quando já é tarde.

Adoptei uma alimentação exclusivamente crua porque fiquei gravemente doente. Tive câncer da mama. A doença, é claro, havia sido precedida de má nutrição e maus hábitos durante doze anos de formação hospitalar.

Inicialmente, descobri um pequeno nódulo no seio direito. Cansada e sem ânimo, não prestei muita atenção ao nódulo até cinco semanas mais tarde. Descobri que estava do tamanho de um ovo de galinha. Havia crescido aderindo à pele — um sinal característico do câncer. Como médica, estava suficientemente bem informada para não querer me submeter ao tratamento geralmente usado nesses casos. Lembrei, então, de passar para uma alimentação 100% vegetariana crua.

Parti em busca da natureza. Vivi durante algum tempo em uma pequena ilha. Tomava banhos de sol durante várias horas por dia, dormia em uma barraca e tomava banhos de mar. Alimentei-me exclusivamente de frutas e hortaliças cruas. Mais tarde, introduzi esse hábito de vida no sanatório Humlegaarden.

Após dois meses, comecei a melhorar. O nódulo foi regredindo e minhas forças voltaram. Aparentemente, estava curada e me sentia muito bem.

Após um ano de boa saúde — persuadida pelo Dr. Hindhede — tentei voltar, a título de experiência, a uma alimentação vegetariana que incluía 50% de alimentos vegetais cozidos. Não deu outra. Após alguns meses, comecei a sentir uma dor aguda no seio onde o tumor havia aderido à pele. A dor aumentou e percebi que o câncer estava crescendo novamente. O câncer voltara devido aos alimentos cozidos. Mais uma vez, voltei à alimentação crua. A dor diminuiu rapidamente e eu me senti menos cansada.

Como médica, achei que deveria usar a experiência adquirida para ajudar outras pessoas doentes. Sob minha iniciativa, foi criada uma sociedade anónima que comprou a propriedade Humlegaarden. Bem adequada ao meu propósito, ela foi adaptada como sanatório onde todos os doentes e funcionários seguiam somente a alimentação crua.

Alimentos crus são vivos
Por que será que a alimentação 100% crua exerce um efeito tão benéfico para as pessoas que a adoptam?

Em primeiro lugar, isso ocorre porque o alimento cru é um alimento vivo, tal como nos oferece a Natureza. É somente a planta, com suas finas folhas verdes abertas, que consegue absorver a luz solar e transformá-la em raízes, tubérculos, frutas e sementes. Por isso, tanto homens como animais usam as plantas para proporcionar energia solar ao seu organismo.

Chamo os alimentos crus de alimentos vivos, ao contrário dos alimentos cozidos, que considero alimentos mortos. Devemos cuidar para que os alimentos não contenham substâncias que contrariam a química do organismo, para que os resíduos não fiquem retidos por muito tempo e apodreçam no intestino grosso. Portanto, o melhor alimento é totalmente natural — não passou por nenhum tipo de processamento. É preciso acrescentar, o alimento vivo é muito mais fácil de digerir.

Os alimentos crus ajudam e fortalecem o organismo de todas as maneiras porque contêm enzimas, elementos vivos básicos e vitaminas que se combinam de forma natural, dissolvendo e eliminando as toxinas. Toda pessoa sensata percebe que nossa alimentação actual é muito destrutiva. É a causa mais comum e mais grave das doenças físicas e psicológicas e da degeneração constitucional do organismo. Precisamos buscar hábitos de vida e uma alimentação mais saudáveis, se queremos viver melhor agora e no futuro. Não podemos nos contentar, fazendo concessões, quando a vida e a saúde estão em jogo. Precisamos adoptar a única solução correta — uma alimentação 100% crua.

As frutas secas não são tão boas quanto as frescas. Na primavera de 1946, recebemos algumas frutas secas (uvas-passa, tâmaras, ameixas e figos). Pensei que não faria mal incluí-las na minha alimentação, mas estava errada. Essas frutas haviam sido tratadas com produtos químicos a fim de preservá-las e dar-lhes melhor aspecto. Depois de consumi-las durante três ou quatro meses, comecei, de repente, a sentir dores violentas no tecido da mama e descobri um pequeno nódulo no seio direito, no exacto lugar do câncer anterior. Voltei a comer apenas alimentos frescos e crus e o nódulo desapareceu.

Os alimentos frescos crus contêm o máximo valor nutritivo, não podendo ser aumentado nem melhorado. Esquentar, secar, armazenar, fermentar e conservar reduz e destrói o valor. As hortaliças cozidas têm pouco sabor; é preciso fazer alguma coisa para torná-las saborosas. Misturamos vários alimentos, acrescentamos sal, açúcar, condimentos e manteiga. Também removemos o germe e o farelo do trigo, polimos o arroz, refinamos o açúcar, descascamos as frutas e as batatas e raspamos as cenouras. Carnes, peixes, ovos e queijos fornecem um grande excesso de proteína animal.

Bebidas à base de café, cacau e chá preto contêm estimulantes tóxicos. Além disso, conservamos alimentos com produtos químicos — ácido benzóico, ácido salicílico, salitre, ácido bórico e ácido sulfúrico — para que não deteriorem e tenham boa aparência. Também o uso de medicamentos está aumentando cada vez mais. Tomamos calmantes, soníferos, sedativos e laxantes — todos eles produtos tóxicos estranhos ao organismo.

Resultado da alimentação viva
Vamos abordar por um instante a maneira como essa alimentação age sobre diversas doenças. A acção depende da idade do doente, da intoxicação, do enfraquecimento e da deterioração de sua constituição, devido a uma alimentação nociva e maus hábitos.

De forma geral, haverá um efeito curativo sobre quase todas as doenças — quer sejam adquiridas durante nossa vida ou devidas a predisposições hereditárias — se o organismo estiver razoavelmente bem e conseguir se beneficiar de uma alimentação exclusivamente crua.

Percebi, também, que os doentes que se submetem totalmente à alimentação crua perdem, aos poucos, a vontade de fumar.

Quanto mais cedo adoptarmos uma alimentação vegetariana crua, mais cedo seus benefícios se farão sentir. As mulheres que adoptam uma alimentação crua durante a gravidez, sentem-se melhor. O parto é rápido e quase sem dor; o bebê sadio, forte e ágil, coopera. Os alimentos crus produzem leite bom e abundante, durante todo o primeiro ano, se a mãe continuar comendo cru. Após poucos meses, ela pode começar a dar para o bebê um complemento de frutas e hortaliças, raladas na quantidade que ele pede. Entretanto, nunca deve dar frutas e hortaliças ao mesmo tempo — sempre separadamente.

Mesmo a criança que ainda não nasceu pode ser prejudicada pela má alimentação da mãe, porque é nutrida pelo seu sangue enfraquecido. Assim, existem condições que favorecem a doença e o nené já nasce fraco. Após o parto, sua saúde deteriora, principalmente quando o leite materno é de qualidade e quantidade insuficientes. Dessa forma, no mundo civilizado, as crianças nascem fracas — algumas mais, outras menos — e a humanidade entra em estado de degeneração.

E quanto aos idosos ou aos doentes que adoptaram essa alimentação tarde demais? O que podem esperar? Todos podem se beneficiar da alimentação vegetariana crua.

As pessoas precisam ser pacientes, mostrar energia e estar muito motivadas. Precisam, também, descansar bastante, principalmente no início. Os primeiros dias podem ser sofridos, até que estejam acostumados com essa alimentação e hábitos de vida diferentes. Logo, porém, sentirão uma melhora. O intestino funcionará regularmente, o que para muitos é um grande estímulo.

A alimentação crua exerce seu efeito benéfico sobre todas as formas de reumatismo e artrite reumática, quando essas doenças ainda não atingiram um estado muito avançado. Constatamos o efeito benéfico sobre as doenças causadas por excesso de ácido úrico, sobre a psoríase, enxaqueca, pedras na vesícula, rins e bexiga. Quase todas as doenças da pele são curadas com bastante rapidez. Queda de cabelo, seborreia e caspa desaparecem. As infecções melhoram ou são curadas.

A alimentação totalmente crua também pode beneficiar casos de câncer e de patologias em estágio terminal. Pode aliviar a dor e prolongar a vida. Quando o câncer é tratado a tempo, é possível obter uma remissão durante muitos anos. O tratamento com alimentos crus precisa ter início assim que o câncer é detectado e precisa ser seguido 100%.

Seria muito importante que os médicos adquirissem mais conhecimento nesse campo. Médicos dinamarqueses e estrangeiros ficaram por algum tempo em Humlegaarden e puseram sua experiência em prática com seus clientes.

A alimentação viva na prática
Para concluir, algumas palavras sobre as condições práticas e o uso diário de alimentos crus. É indispensável que os alimentos sejam orgânicos. Por isso, sentimos a necessidade de introduzir uma horta orgânica. Da mesma forma, o solo, muito adubado com adubo químico, corre o risco de se tornar tão doente quanto o homem — com excesso de acidez, superalimentado, dele brotam plantas doentes, inadequadas para o consumo humano.

Cerca de mil doentes passam por Humlegaarden a cada ano. Tanto os doentes como os funcionários vivem exclusivamente de alimentos não cozidos e, de acordo com nossa experiência, uma dieta de transição não é necessária.

A alimentação varia de acordo com as estações do ano e consiste de três refeições diárias. Fazemos uma refeição de frutas pela manhã e à noite e uma refeição de hortaliças ao meio-dia. Nunca misturamos frutas e hortaliças.

Se o estado dos doentes permitir, os alimentos crus são servidos inteiros; se não, são ralados pouco antes da refeição. Uma vez ralados ou cortados em pequenos pedaços, os alimentos perdem seu teor de vitaminas. Os alimentos precisam ser cuidadosamente mastigados, de preferência até que se tornem uma papa. Mesmo aqueles que forem ralados devem ser bem insalivados.

Os oleaginosos fornecem um bom complemento. A refeição vegetal consiste de folhas verdes, raízes e tubérculos. Todas as frutas são ingeridas com casca. No caso de doenças como gastrite e úlcera gástrica, é preciso tomar cuidado no início.

Se a alimentação crua for associada a hábitos de vida saudáveis, muita coisa vai melhorar. As doenças, pouco a pouco, serão prevenidas. A obesidade se tornará uma raridade.

A vida será alegre para as pessoas saudáveis
O trabalho doméstico vai se reduzir pela metade — e as horas de lazer adicionais serão uma fonte de alegria para todos. Veremos mais pessoas com o corpo esbelto, o porte erecto, o andar flexível, a pele fresca, os dentes brancos e fortes, e os cabelos vigorosos. Com o corpo saudável, nossos pensamentos negativos se transformarão em pensamentos positivos e contribuirão para o grande progresso cultural que o mundo aguarda ansiosamente. Só então valerá a pena viver!
_____
Dra. Kirstine Nolfi, famosa médica dinamarquesa, falecida aos 66 anos em 1967, descreveu suas experiências com os alimentos vivos em uma pequena brochura traduzida para varias línguas e está disponível em português na TAPS.
Publicado no Leite da terra em 01.10.2008

Aqui voce pode ler o livro todo....

Fonte TAPS

quarta-feira, 14 de março de 2012

Carne, não obrigada!


Mesmo em doses bastante moderadas, o consumo de carnes vermelhas aumenta significativamente o número de mortes precoces, conclui um novo estudo norte-americano. 

Alexandre Costa (www.expresso.pt)

Já se sabia que as carnes vermelhas deviam ser consumidas moderadamente, mas um amplo estudo da Harvard School of Public Health agora divulgado acentua essa ideia, concluindo que mesmo quando comida em quantidades reduzidas, em apenas uma refeição diária, aumenta significativamente os riscos de doenças cardiovasculares e de cancro.
Pequenas quantidades de carne processada como bacon, salsichas ou salame aumentam em um quinto as probabilidades de morte precoce, no caso de bifes o risco aumenta em 12%, referem as conclusões do estudo da universidade norte-americana divulgado agora nos Archives of Internal Medicine , publicação bi-mensal da American Medical Association.
"Tendo em conta o aumento das evidências de que mesmo quantidades moderadas de carne vermelha são associadas ao aumento do risco de doenças crónicas e mortes prematuras, (a dose recomendada) de 70 gramas por dia parece ser generosa. O ponto a reter é que deveríamos comer carnes vermelhas apenas ocasionalmente e não como parte da nossa dieta regular", afirmou Frank Hu, um dos co-autores do estudo.
As conclusões são baseadas nos dados recolhidos ao longo de 28 anos num grupo de cerca de 38 mil homens e 84 mil mulheres.
Os investigadores recomendam que as carnes vermelhas sejam substituídas por outras fontes de proteínas como peixes, aves domésticas, nozes e legumes.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/carne-vermelha-e-mais-letal-do-que-se-pensava=f711418#ixzz1p4u8yzEg

sexta-feira, 9 de março de 2012

Leite de Aveia

Preparar o de leite de aveia é muito fácil, vai precisar de um passador, um processador de alimentos: bimby, liquidificador ou uma varinha mágica e uma panela furada bem fina.
Ingredientes:
  • 1 chávenas de grão de aveia germinado (8h + 12h + 12h)
  • 2 chávenas de água de boa qualidade;
Modo de preparar:
Coloque o grão de aveia para germinar, 8 horas de molho, 12 horas ao ar, lave e deixe mais 12 horas ao ar.
Bata tudo no processador. Coe a primeira vez pelo passador e depois pela panela furada.
O leite de aveia é isento de colesterol e lactose, é rico em fibras, contém vitamina E, ferro, entre outras vitaminas e minerais. Rico em fito-químicos, produtos químicos das plantas que ajudam na luta contra várias doenças.

Parte 1 – Os tipos de semente e o processo de demolhagem por Flávio Passos

Sementes da Vida
Parte 1 – Os tipos de semente e o processo de demolhagem
por Flávio Passos

Sementes são reservatórios da vida. Da mesma forma como repousa no sémen um ser humano, em uma semente adormece uma árvore, um arbusto, uma gramínea. Cada variedade conserva em si a matriz vital completa de uma determinada planta: seu código genético, sua essência e sua vitalidade. Em cada semente está toda a aposta de continuidade de uma determinada espécie, e nela a planta deposita o que de melhor ela puder.

Há muito o homem aprendeu a plantar e colher as sementes e a desfrutar de suas propriedades nutritivas e medicinais – são inúmeras as sementes comestíveis que a Natureza deste planeta oferece. Entretanto, quando estudamos minuciosamente os mecanismos necessários para se preservar e extrair o melhor de cada semente, percebemos que a falta de conhecimento generalizado faz com que haja um grande desperdício do potencial alimentício das sementes, principalmente em função da escolha de métodos equivocados de preparo destas.

Para melhor compreender como usufruir adequadamente do melhor que cada semente tem a oferecer, vamos primeiro dividir as mesmas em categorias:

  1. Sementes Oleaginosas (que oferecem predominancia de elementos oleosos em sua composição).
    Ex: semente de girassol, gergelim, linhaça, amêndoas, nozes, cacau, etc. 
  2. Sementes Amiláceas (que oferecem predominância de amido em sua composição).
    Ex: Arroz, quinua, aveia, cevada, trigo, etc. 
  3. Sementes Protéicas (que oferecem predominância de aminoácidos em sua composição).
    Ex: Feijões de todos os tipos, ervilhas, lentilhas, soja, etc.

Cada tipo de semente torna-se mais biodisponível quando processada (ou não) de uma determinada maneira. As sementes oleaginosas, por exemplo, são sensíveis ao calor e tem seus benéficos óleos essenciais destruídos quando cozidas ou tostadas. Oleaginosas tostadas, embora muitas vezes sejam saborosas, são fontes de radicais livres, substâncias que desordenam a estrutura molecular do corpo e propiciam o envelhecimento precoce do mesmo. Isto significa que obtemos o melhor das sementes oleaginosas quando as ingerimos “in natura”, ou seja, processadas à frio ou em baixa temperatura.

Já as sementes amiláceas, por sua vez, são muito pouco aproveitadas pelo corpo quando não cozidas. Ocorre que o amido é uma substância que requer a gelatinização de sua estrutura para ser assimilado pelo aparelho digestivo e transformado em energia. O amido não-cozido, embora seja útil para alguns processos digestivos que ocorrem no cólon, não consegue se transformar em energia no intestino delgado, sendo assim minimamente utilizado e dispensado pelas fezes praticamente intacto.

Embora seja importante de maneira geral observar a moderação no consumo de amido e açúcares de qualquer tipo, a energia disponibilizada pelos amidos requer o cozimento do mesmo. Ainda assim, o cozimento dos amidos deve ser sempre realizado dentro de métodos adequados. Ocorre que quando torramos, fritamos ou tostamos o amido, forma-se uma concentração de uma determinada substância denominada acrilamida, uma poderosa neurotoxina que serve como precursora de células cancerígenas(Tareke et al.,2002), além de oferecer outros efeitos colaterais. Por este motivo, recomenda-se que amidos fritos ou assados (pão, biscoitos, etc.) sejam reservados para ocasiões e seu consumo diário seja minimizado. O processo de fervura, porém, cria concentrações irrisórias de acrilamida, sendo portanto este o método ideal para preparar os amiláceos.

O mesmo pode ser dito em relação aos feijões de todos os tipos – quando consumidos crus, o corpo dificilmente tem acesso aos seus nutrientes, e ainda tem que lidar com indesejáveis toxinas, tais como a fito hemaglutinina presente no feijão roxinho dentre outros, que pode causar náuse, vômitos e diarréias. Quando crus, estes feijões apresentam concentrações de entre 20.000 a 70.000 unidades desta toxina, enquanto que cozidar por no mínimo 10 minutos  em temperatura superior à 80 graus centígrados reduz esta concentração para entre 200 e 400 unidades. Desta forma, cozinhe seus feijões, ainda que germinados.



Demolhagem

Antes de mais nada, é importante saber que as sementes possuem defesas. A inteligência natural de uma planta conhece bem os perigos e adversidades deste mundo, e trata de imbuir as sementes com cascas rígidas e/ou fitatos/substâncias inibidoras que tem o papel de proteger da melhor maneira possível o conteúdo da semente de bactérias oportunistas que adorariam se alimentar de seu conteúdo.

Quando ingerimos sementes que conservam estas substâncias, os fitatos ou inibidores enzimáticos dificultam o processo digestivo, aumentando o gasto energético necessário para este processo, ou gerando efeitos desagradáveis, tais como flatulências, exaustão das capacidades do pâncreas e outros desconfortos. Outro revés é o fato de que os fitatos funcionam também como bloqueadores de assimilação, ou anti nutrientes, que impedem que o corpo assimile importantes nutrientes como o ferro, zinco, cálcio e outros sais minerais. Estudos indicam que uma dieta com teor elevado de cereais não-preparados com o processo descrito a seguir conduzem à desmineralização e perda de densidade óssea, dentre outros problemas.

Assim sendo, a primeira providência que deve ser tomada quando do preparo de sementes para consumo é a de eliminar ou minimizarestas substâncias protetoras. Felizmente, o processo é simples e prático, e consiste em deixar as sementes de molho em água potável adicionada de vinagre de maçã ou suco de limão ou, ainda, iogurte ou qualquer outro meio de cultura ácida de probióticos.


Esta simples solução ácida penetra no interior da semente e estimula a liberação das substâncias indesejadas, indicando para a semente que é tempo de despertar e eliminar suas defesas. A acidez da solução neutraliza os fitatos e o resultado é que com apenas algumas horas de demolhagem você obtém sementes muito mais adequadas para o processo digestivo.

Embora cada semente tenha seu tempo específico de demolhagem, você pode simplificar este entendimento compreendendo que o ideal é deixar de molho no princípio da noite anterior aquelas sementes que você pretende preparar no dia seguinte.  Idealmente, aguardamos 24 horas para o máximo de eliminação das substâncias indesejadas, mas 12 horas já são suficientes para eliminar a maior concentração destas. Escolha um recipiente de louça ou vidro, deposite as sementes, despeje o dobro da medida destas em quantidade de água e adicione uma parte de substância ácida, calculando aproximadamente uma colher de sopa de ácido para uma xícara de água. Ou seja: se você quiser deixar uma xícara de arroz integral de molho, utilize duas xícaras de água potável (mineral ou muito bem filtrada) e duas colheres de sopa do ácido escolhido (vinagre, suco de limão, kefir, etc.). Sempre descarte a água na qual as sementes ficaram de molho, pois nela estão contidas as substâncias que desejamos eliminar.

Posso apenas demolhar com água? Sim, e já faz alguma diferença, embora estudos realizados (testando trigo, centeio e aveia) demonstrem que o processo de demolhagem com água neutraliza entre 46 e 77% do ácido fítico, enquanto que demolhar em solução ácida elimina entre 84 e 99% destas substâncias, além de eliminar também fungos e bactérias indesejáveis presentes no exterior das sementes. Desta forma, prefira sempre utilizar a solução ácida.

Como benefício adicional, as vitaminas do complexo B contidas em algumas destas sementes, especialmente nos cereais, aumentam em concentração e biodisponiblidade através deste simples processo. Fácil e altamente benéfica, a demolhagem não é uma idéia nova — foi praticada por praticamente todas as culturas pré-industrialização. Inclua esta tradicional sabedoria em seu cotidiano e colha os benefícios de uma digestão mais leve e confortável, além de nutrição superior.

Embora o ideal seja sempre iniciar qualquer preparo a partir do grão, vale a observação de que o processo de demolhagem em solução ácida também beneficia os farináceos. Deixe de molho a sua farinha de trigo integral para melhorar e muito a qualidade do pão, por exemplo.

Leite de soja e tofu, assim como o grão da soja cozido, a farinha de soja e alimentos “enriquecidos” com soja são fontes de altíssima concentração de fitatos e devem ser evitados, especialmente por crianças, grávidas e lactantes, bem como aqueles com deficiências em minerais. Definitivamente existem opções de alimentos mais adequados para o homem do que os derivados de soja.

Também é importante ressaltar que duas castanhas em particular não são dotadas destas substâncias indesejáveis, pois são protegidas de outra maneira: através de cascas impenetráveis. É o caso da Castanha do Brasil (ou do Pará) e da Macadâmia. Estas duas sementes dispensam o processo de demolhagem.

Fonte: Pura Vida - Alimentação consciente.

terça-feira, 6 de março de 2012

Nutricionista fala sobre nutrientes e benefícios da semente de chia


Karin Honorato apresenta formas de consumir e onde encontrar o alimento.

Ela também compara o valor nutricional com outros alimentos.


A primeira característica da chia apontada pela nutricionista é que a semente é rica em antioxidantes (substâncias que diminuem os radicais livres e inibem a ação de doenças). “Cem gramas da chia, que equivale em média a 8 colheres de sopa, tem a mesma proporção de antioxidantes de 2,5 quilos de tomate, e o seu valor para poder defender as nossas células é proporcional a maçã, ao alho e a castanha do Pará”, diz.A nutricionista Karin Honorato fala neste sábado (15) sobre o grão de chia. Segundo ela, este alimento é originário da Colômbia e do México e era usado pelos povos que habitavam essas regiões desde 2 mil a.C. Os estudos comprovam que essa semente é muito benéfica ao organismo, devido à grande concentração de nutrientes, afirma a nutricionista. Karin compara o valor nutricional da chia com outros alimentos e apresenta os benefícios.
 A nutricionista afirma ainda que 100g de chia equivalem a 200g de nozes em magnésio, 0,5 litros de leite em cálcio e 1 kg de espinafre em ferro. “A associação do cálcio com o magnésio na semente de chia favorece muito a saúde óssea. Com isso, conseguimos prevenir, principalmente a osteoporose”, explica.

Muito nutritiva, segundo Karin, a chia também possui vitaminas do complexo B, zinco, cobre e potássio. “Cem gramas da chia equivalem a duas bananas grandes em quantidade de potássio”. De acordo com ela, a chia é o grão mais rico em proteína (20 % da composição).
Esse alimento possui ainda uma grande quantidade de fibras (mais de 40 % da composição), de acordo com Karin. “35 %, em media, média de fibras insolúveis. Que são aquelas que aumentam tanto o volume quanto a freqüência das fezes, e aliviam quem tem prisão de ventre, aumenta a imunidade e favorece a flora bacteriana, fazendo com que a pessoa absorva menos glicose. Isso favorece a perda de peso”, explica.
A chia também possui fibras solúveis, segundo Karin. “Aquelas que entram em contato com o líquido do estômago e do intestino e formam um tipo uma massa gelatinosa que retarda o esvaziamento gástrico. Com isso, a pessoa fica saciada mais tempo”, afirma,
Outro nutriente identificado na composição da chia é o ômega 3, conforme a nutricionista. Ela recomenda 2 colheres de sopa por dia para que a pessoa reduza os níveis de triglicérides.
Consumo diário
O consumo da chia traz muitos benefícios às pessoas. Ajuda o bom funcionamento do organismo e evita doenças crônicas, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, melhora a pressão e até ajuda a emagrecer, segundo Karin. “Só que para você receber todos esses benefícios a sua dieta tem que estar equilibrada”, diz.
A semente e o óleo de chia podem ser encontrados  na cia natural. O grão pode ser consumido com frutas, sucos, vitaminas, ou ainda em receitas de bolos, pães e farofas.
Segundo Karin, entre duas e quatro colheres de sopa da semente e/ou duas colheres de sopa de óleo de chia por dia já proporciona excelentes benefícios à saúde.
Fonte: Globo G1

segunda-feira, 5 de março de 2012

F de Feijão


DR
Um dia perguntaram ao intelectual italiano Umberto Eco qual tinha sido para ele o facto mais importante do 2º milénio. Provavelmente o leitor poderá achar que está o ler o texto errado e a perguntar-se o que é que isto tem a ver com o feijão. Pois bem, a resposta de Umberto Eco a esta pergunta foi: “a introdução do feijão na Europa”! E de facto, o feijão juntamente com outras leguminosas como a fava, lentilha e grão tiveram em tempos um papel crucial no combate à desnutrição que se abatia em toda a Europa.
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, e hoje, é muito provável que a razão pela qual exista um certo preconceito em relação ao feijão, seja essa lembrança de outros tempos com menos recursos em que o feijão foi utilizado como substituto da carne e do peixe. E este preconceito pode-nos sair caro quer no que diz respeito à nossa saúde, quer na manutenção da nossa identidade gastronómica que é algo do qual nos devemos orgulhar e não envergonhar. Com efeito, a feijoada é considerada muitas vezes um prato excessivamente pesado… e ainda bem! Muito do que por vezes entendemos como “pesado” refere-se à capacidade saciante do alimento em causa, e a este nível ninguém bate o feijão. A única maneira de tornarmos uma feijoada pesada em termos nutricionais é a adição de carnes demasiado gordas e enchidos que esses sim, desequilibram um prato que pode traduzir igualmente uma simbiose empírica entre arroz e feijão na procura da complementaridade proteica dos seus constituintes.
O feijão, à semelhança de outras leguminosas desempenha um papel fundamental no controlo do apetite pois para além de ser pouco calórico (cerca de 100kcal por 100gramas) tem uma grande quantidade de proteína e fibra. E são estas mesmas fibras que juntamente com outros fitoquímicos como o ácido fítico, flavonoides e compostos fenólicos, fazem do feijão um super-alimento na temática da prevenção do cancro. Sendo certo que o ácido fítico é responsável pela diminuição da absorção do ferro e cálcio, ele compensa essa menos-valia com uma grande capacidade antioxidante e antimutagénica que em conjunto com a produção de ácidos gordos de cadeia curta resultantes da fermentação da fibra do feijão diminuem o risco de cancro, particularmente o colo-rectal.
Assim, na sopa, na salada, em feijoadas à portuguesa ou brasileira, com marisco, lulas ou búzios, a ingestão de feijão é uma questão de saúde. É difícil encontrar algo que o feijão não tenha. Tem proteínas de elevada qualidade para um alimento de origem vegetal, tem hidratos de carbono de absorção lenta, tem grande quantidade de fibra promotora da saciedade, tem um vasto portfólio micronutricional com ferro, cálcio, zinco, ácido fólico e outras vitaminas do grupo B. Enfim, é daqueles alimentos que justificam o uso do cliché: O feijão tem tudo… Só não tem comparação!


 *Professor Assistente Convidado da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto pedrocarvalho@fcna.up.pt

Fonte:  Life@Style

sábado, 3 de março de 2012

Workshop Produção Caseira e Ecológica de Produtos de Limpeza e Higiene




Inscrição obrigatória, 60 euros por pessoa 
mínimo de 5 participantes, máximo de 15.

Direitos do Leite da terra

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte poderá ser reproduzida, de forma alguma, sem a permissão formal por escrito do seu autor, excepto as citações incorporadas em artigos e ou postes com os devidos créditos