sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Banhos de Inverno com óleos essenciais

O catarro e as frieiras são apenas alguns dos problemas que nos acompanham a partir do momento em que as temperaturas começam a baixar, no início do Inverno.
E como não há nada que apeteça mais nesta altura que nos enfiarmos na banheira, propomos que junte à água quente alguns óleos essenciais à base de plantas, para que os banhos a possam ajudar a aliviar esses mesmos problemas.

Em pleno Inverno, um banho de imersão é algo mais que apetecível. Através do ritual de nos submergirmos nas águas bem quentes, podemos não só alcançar o bem-estar, como também obter benefícios muito interessantes para a nossa saúde.

Ao entrarmos numa banheira de água quente ou ao fazer um banho de pés ou de mãos, o nosso corpo aquece, primeiro de forma superficial, ao aumentar a circulação sanguínea e ao dilatar os poros da nossa pele, e depois de um modo mais profundo, quando o calor continua a penetrar, até relaxar os músculos e, pouco a pouco, todo o organismo.

Assim, a nossa pele torna-se mais permeável e pode absorver melhor os princípios activos que acrescentamos à água do banho, para além de eliminar através dos poros as toxinas e as substâncias residuais que teremos entretanto gerado.

Além disso, com os músculos relaxados, podemos aliviar contracturas e outros problemas musculares.

Mas podemos ainda retirar o máximo rendimento dos banhos de água quente, se decidirmos fazer vapores, para assim tratar determinadas afecções respiratórias.

No vapor que se liberta das infusões e das decocções, encontra-se uma boa parte dos princípios activos das plantas utilizadas, e ao respirá-lo, conseguimos fazê-los chegar onde mais necessitamos.

Frieiras

Nogueira e gingko biloba
Estas incómodas inflamações da pele, acompanhadas por ardor e rubor, afectam principalmente as mãos e os pés, que normalmente estão mais expostas ao frio, mas também as orelhas e o nariz.

Porque é que aparecem as frieiras? Quando as temperaturas baixam muito, o corpo reage, evitando ao máximo perder o calor, e para isso, reduz a circulação sanguínea da pele, especialmente das zonas que estão mais expostas ao frio.

O que ocorre é que, quando se recupera a circulação normal, algumas das pequenas veias se inflamam, surgindo as frieiras. Para aliviar os seus incómodos sintomas e recuperar o estado normal da sua pele, ponha a ferver 100 g de folhas de nogueira numa panela com dois litros de água, durante 15 minutos.

Ao retirar do lume, acrescente 100 g de folhas de gingko biloba. Deixe repousar durante alguns minutos. O líquido filtrado é ideal para fazer banhos de mãos ou de pés, dependendo da zona onde surgiram as frieiras.

Dores de cabeça

Mostarda
Para aliviar as cefaleias causadas pela gripe ou o catarro/sinusite, existem vários remédios, mas o que se segue é um dos mais peculiares.

Num recipiente suficientemente grande para introduzir os pés, verta dois ou três litros de água bem quente e acrescente uma ou duas colheres de sopa de mostarda em pó.

Submirja os pés durante 5 ou 10 minutos e repita esta operação 2 vezes ao dia. Estes banhos de pés fazem com que o sangue circule até os pés, e como consequência, descongestiona-se e alivia-se um pouco a dor de cabeça.

Torcicolos e lombalgias

Tomilho
As temperaturas baixas podem deixar-nos desprevenidos, provocando incómodas e dolorosas contracturas musculares.

A causa é simples: com as temperaturas baixas, os nossos músculos não estão tão preparados para realizar gestos bruscos ou demasiado rápidos, e ressentem-se muitas vezes, provocando dores incómodas.

Existe no mercado uma grande quantidade de unguentos, cremes e medicamentos para aliviar a dor, mas também se encontram remédios naturais eficazes.

Prepare uma infusão com um litro de água e 200 gramas de tomilho, deixe repousar e deite-a numa banheira de água bem quente. Submirja e notará o alívio da dor.

Dores “invernais”

Manjerona

A chegada do frio e da humidade é para muitas pessoas o prelúdio das dores ditas invernais, muitas vezes do tipo reumático.

Embora existam no mercado muitos analgésicos para aliviar estas dores, há alternativas mais naturais e agradáveis.

Prepare um banho de água quente e acrescente algumas gotas de essência de manjerona.

Deixe-se ficar na água durante alguns minutos e repare como a acção tonificante da manjerona a ajuda a acalmar as dores reumáticas e a sentir-se melhor.

Gretas na pele

Pulmonária e mil-em-rama
Com o frio, a pele torna-se seca, por vezes ao ponto de surgirem gretas, ficando muito mais vulnerável a feridas e golpes.

Se deseja hidratá-la e protegê-la das temperaturas baixas, prepare uma decocção: deite 40 g de pulmonária em 2 litros de água, deixe ferver durante 15 minutos e ao retirar do lume, acrescente 30 ou 40 gramas de mil-em-rama.

Deixe repousar a mistura, para que os princípios activos desta última planta se libertem. Filtre a decocção-infusão e deite-a na água do banho.

As propriedades cicatrizantes e anti-sépticas da mil-em-rama, juntamente com os mucílagos e a alantoína – que possuem uma acção emoliente – da pulmonária, actuarão sobre a pele, reduzindo notavelmente a secura e ajudando a cicatrizar as gretas causadas pelo frio.

Depressão invernal

Alfavaca e alecrim
Com a chegada do Inverno, muitas pessoas tornam-se mais sensíveis e apáticas. Para melhorar o estado de espírito, prepare uma infusão com 50 gramas de alfavaca e 100 gramas de alecrim. Deixe repousar e filtre o líquido.

Encha a banheira com água bem quente e acrescente a infusão, baixe a intensidade da luz ou utilize velas como fonte de iluminação.

Deixe-se submergir e relaxar durante pelo menos 15 minutos. Estas plantas possuem propriedades tonificantes e estimuladoras, que lhe proporcionarão uma agradável sensação de bem-estar. Também será muito relaxante acrescentar à água uma infusão concentrada de camomila.

Por: Guadalupe Jiménez -
Fonte: Sapo Saude -

1 comentário:

JAIRCLOPES disse...

Visite o blog: wwww.seteramos.blogspot.com Lá você encontra um ótimo texto em homenagem a Grabriela Mistral, vale a pena ler.

Direitos do Leite da terra

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte poderá ser reproduzida, de forma alguma, sem a permissão formal por escrito do seu autor, excepto as citações incorporadas em artigos e ou postes com os devidos créditos